Bolívia realizará votação em 3 de maio para novo presidente

As eleições para um novo governo para substituir o do presidente derrubado Evo Morales e o governo interino de Anez que se seguiram  foram marcadas para 3 de maio, segundo  um funcionário do tribunal eleitoral da Bolívia .

Falando na sexta-feira, o vice-presidente do Supremo Tribunal Eleitoral, Oscar Hassenteufel, disse que o calendário eleitoral completo será revelado na segunda-feira.

As eleições escolherão um presidente, vice-presidente e membros da assembléia legislativa. Se nenhum vencedor claro surgir na votação para presidente, uma segunda rodada será realizada.

Morales renunciou em novembro, após uma onda de protestos alimentados por acusações de que seus apoiadores haviam fraudado uma eleição em 20 de outubro.

Um governo interino conservador liderado por Jeanine Anez assumiu o poder.

O movimento de Morales rumo ao socialismo é a maior facção política do país.

De seu exílio no exterior, Morales disse que espera que seu partido socialista do MAS ganhe as eleições.

O próprio Morales não será candidato nas eleições, mas foi nomeado para liderar a campanha de seu partido.

O MAS anunciará seu candidato à presidência em 19 de janeiro.

O ativista de direita e líder da oposição Luis Fernando Camacho já anunciou sua candidatura para o cargo mais alto.

Advogado do departamento economicamente poderoso de Santa Cruz de la Sierra, no leste do país, ele é um dos mentores por trás dos protestos que levaram à demissão de Morales.

Os críticos o acusam de racismo e zelo religioso.

Anez anunciou que a Bolívia emitirá um mandado de prisão para Morales por acusações de sedição, mas o ex-líder disse, no entanto, que pretende voltar ao seu país.